• Home
  • Blog
  • Níveis de acesso para transmissão de arquivos no SNGPC
Nosso Blog
17/02/2023

Níveis de acesso para transmissão de arquivos no SNGPC

Na forma tradicional o farmacêutico registrava todas movimentações e depois postava na plataforma.
Guia de Conteúdo

O SNGPC, (Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados) é o sistema da Anvisa, que entrou em vigor entre 2007 e 2008, substituindo a forma tradicional que o farmacêutico registrava as movimentações de produtos controlados.

De forma resumida, toda farmácia que comercializa produtos controlados têm como obrigação gerar dados para o controle, como informações do comprador, do medicamento e da farmácia.

Para isso, é necessário alguns níveis de acesso, seja o mais simples possível que é entrar no site da Anvisa destinado ao envio dos arquivos até níveis mais avançados.

Neste artigo falaremos um pouco sobre estes níveis de acesso.

 

Os níveis de acesso: 


Todo sistema conta com diferentes níveis de acesso à informações, e com o SNGPC não é diferente, para se transmitir o arquivo gerado, por exemplo, existem diversos níveis de acesso.

O mais simples pode ser considerado o site da Anvisa, do qual você apenas faz o acesso à plataforma dedicada para o envio dos arquivos.

Porém, existe um serviço de recepção de arquivos que não depende apenas do acesso ao site do SNGPC para que faça a comunicação. Sendo esse um acesso com nível mais avançado, utilizado principalmente por programas voltados à transmissão dos arquivos.  

Esses ainda são níveis de acesso externos, funcionam apenas para o contato entre o usuário, a farmácia no caso, e a Anvisa.

Pela complexidade do SNGPC muitos problemas podem gerar falhas.
O SNGPC é um sistema complexo que faz o controle dos medicamentos de ponta a ponta. (Foto: Envato Elements)

Níveis de acesso internos


Quando pensamos no
funcionamento de um sistema devemos ir além do que está em nossa visão, ainda mais em casos de sistemas complexos, como o SNGPC.

Internamente, ou melhor, dentro do ambiente da Anvisa, há outros níveis para trafegar as informações recebidas, até que elas cheguem ao devido local.

Esses necessitam que o funcionamento de diversos softwares específicos para cada tarefa seja perfeito, algumas etapas são necessárias até que a informação chegue ao servidor final.

Dentre essas etapas estão: 

  • Servidor Web
  • Banco de Dados; 
  • Escalonador; 
  • Balanceador de Carga. 

Entre outros serviços e processos, é necessário que tudo esteja funcionando em conjunto, como uma engrenagem. Caso um processo não funcione corretamente, toda a recepção de arquivos pode falhar, sendo necessário o reenvio dos arquivos.

 

As possíveis falhas


Raramente temos acesso aos processos que não estão funcionando
, para saber o que ocorre no sistema interno da Anvisa ou em qual parte está a falha.

Mas através dos sintomas apresentados, conseguimos verificar se existe algo incorreto nos acessos externos e então solucionar.

Das mais comuns falhas nos sistemas do SNGPC, duas se destacam:

  1. Site fora do ar: Neste caso, quem transmite os arquivos gerados diretamente pelo site está propenso a ter que esperar o retorno da plataforma. Costuma ocorrer quando o problema está no servidor web, a única solução é esperar o voltar. 
  2. WebService fora do ar: Alguns programas de transmissão de arquivos SNGPC utilizam do “WebService” que a Anvisa disponibiliza, porém é comum que se o site está offline este serviço também esteja, raro casos um deles funciona sem alterar o funcionamento do outro. Novamente a solução é aguardar a reconexão com a plataforma online da Anvisa.
Por ser dedicado à comunicação, o SNGPC Remoto pode garantir aprovação integral dos arquivos enviados à Anvisa.
O SNGPC Remoto garante aprovação de 100% dos arquivos enviados. (Foto: Divulgação CMA Sistemas)

Como não se preocupar com as possíveis falhas: 


Um ambiente perfeito seria o que não existisse falhas ou outros problemas relacionados, o que é muito improvável, visto que todo o funcionamento depende de muitos fatores e níveis de acesso.

Mas existe um software que, apesar de não evitar as falhas possíveis, garante 100% de aprovação nos arquivos enviados.

O SNGPC Remoto é um software dedicado a fazer a comunicação entre a farmácia e os servidores da Anvisa e após instalado, faz todo o procedimento de comunicação independente do programa já utilizado para gerenciar seu negócio.

Ele se recupera das falhas de comunicação automaticamente, guardando em memória o status da última comunicação efetuada. Além de garantir o envio dos arquivos conforme o padrão exigido pela Anvisa.

 

Clique aqui e fale com a CMA Sistemas.

Cláudio Ferreira

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =

SNGPC Remoto

Categorias

Veja Também

SNGPC em 2024

SNGPC de volta em 2024? Confira as novidades

Em 2024, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se prepara para um importante marco na gestão de medicamentos controlados no Brasil: o relançamento de uma versão de testes do Sistema Nacional de Gerenciamento de

ANVISA passou a exigir dados do paciente para os antimicrobianos.

Dados do PACIENTE – SNGPC Antimicrobianos

O Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) é um instrumento eletrônico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) que tem como objetivo controlar a comercialização de medicamentos sujeitos a controle especial. Através deste

Mudanças quanto ao uso prolongado de antimicrobianos.

Uso prolongado do medicamento – SNGPC antimicrobianos

O Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) é um sistema informatizado desenvolvido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para monitorar e controlar a comercialização de medicamentos sujeitos a controle especial. A partir